Inovação | 29 janeiro, 2021
Tempo estimado de leitura: 4 minutos

Cada vez mais intensificamos nossas ações de promoção da diversidade e da pluralidade em todo o nosso Ecossistema. E para que isso se tornasse uma iniciativa perene, criamos o Ânima Plurais, nosso conjunto de políticas institucionais de diversidade e frentes de trabalho, que ganhou ainda mais força e relevância em 2020. E os resultados já são contabilizados. Entre eles, nossa parceria com a Carambola, instituição de ensino que atua no treinamento e inclusão de minorias no mercado de trabalho de tecnologia, resultou na contratação de profissionais que agora fazem parte do nosso time de transformação digital.

Para a contratação, durante quatro meses a Carambola desenvolveu o mapeamento de profissionais cadastrados que integram  grupos minorizados em situação de vulnerabilidade social e têm menos oportunidades no mercado de trabalho da área de TI por questões ligadas à sexualidade e gênero. E selecionou os candidatos que mais se adequavam ao perfil técnico das vagas de trabalho oferecidas pela Ânima. A partir daí, a instituição de ensino abriu suas portas e iniciou o treinamento e capacitação desses profissionais. O resultado foi a contratação de três especialistas da área de tecnologia.

Amanda Morettini, de 27 anos, foi uma das profissionais que participaram da iniciativa e passou a fazer parte do nosso time. A ex-professora de geografia, que encarou uma mudança radical na carreira, diz que encontrou na parceria da Carambola com a Ânima o acolhimento e a segurança que precisava. “Durante todo o programa tivemos liberdade para expor nossas ideias, inseguranças, dúvidas e dores, sem julgamento. Criamos uma relação sólida entre mentores, colaboradores e nossos parceiros da Ânima. Nas semanas finais, recebemos a boa notícia de que a companhia seguiria com a contratação do meu grupo após encerrarmos o programa com a Carambola. Levo comigo uma grande bagagem de aprendizados, essenciais para desenvolver projetos digitais inovadores em meu emprego atual”, declara.

Para Patrícia Fumagalli, nossa VP de Transformação Digital, a proposta de valor da Carambola vai de encontro com os pilares da companhia, que tem como essência a formação de profissionais de tecnologia qualificados para o mercado, além da inclusão e diversidade. “Na Ânima, iniciamos um processo de transformação digital em 2017 e com isso a busca por profissionais na área de tecnologia se intensificou pois esse profissional é escasso no mercado. Outro ponto que fez com que o programa da Carambola estivesse extremamente alinhado com o que companhia acredita são as questões relacionadas à inclusão e diversidade no meio corporativo. O mercado de tecnologia é majoritariamente masculino e nós acreditamos que as empresas devem se atentar para a importância de mudar esse cenário”, afirma.

O co-CEO da Carambola, Renato Prado, explica que a instituição atua em comunidades e tem uma rica base de dados de profissionais que querem atuar na área de tecnologia, mas enfrentam dificuldades. “O posicionamento de uma instituição do porte da Ânima em prol da diversidade no mercado de trabalho é fundamental para que essa demanda seja atendida e para que a inclusão de fato exista”, destaca ele.

Para o futuro, até 2025, temos como meta impulsionar ações para promoção das diferentes formas de diversidade: gênero, raça, orientação sexual, identidade de gênero, PCD´s. “A companhia desenvolve em todo o seu Ecossistema diversas iniciativas que têm como objetivo incluir as pessoas tanto no mercado de trabalho, quanto no meio acadêmico e o Ânima Plurais é uma delas. Queremos ser os agentes da transformação social, a partir de práticas que se tornem referência nacional. Nossa prioridade será o recorte racial, porém com o olhar interseccional, vamos contemplar também os demais grupos”, declara Tânia Chaves, nossa analista de diversidade.