Notícias | 01 julho, 2020
Tempo estimado de leitura: 7 minutos

Anunciamos, nesta quarta-feira (1º de julho), a parceria com o Centro Universitário FG (UniFG), de Guanambi, na Bahia. O objetivo é dar seguimento ao projeto de educação de qualidade da instituição na cidade baiana e em toda a região do semiárido nordestino. Fundada em 2002, a UniFG é mantida pelo Centro de Educação Superior de Guanambi (CESG) e desenvolve o ensino, pesquisa e extensão por meio de 25 cursos de Graduação – em áreas do conhecimento como Saúde, em especial Medicina, Direito e Engenharia -, além de Pós-Graduação e um Mestrado em Direito, o primeiro no interior do Norte e Nordeste do País.  

Dono de conceito institucional máximo (nota 5) no MEC, o Centro Universitário conta com cerca de 500 colaboradores e docentes, e é responsável pela formação de 3.800 universitários, que estudam em um campus-sede na entrada de Guanambi, levando educação não apenas para este município, como também a diversos outros situados na Bahia e no Norte de Minas Gerais, recebendo também estudantes de várias partes do Brasil.  

Para Georgheton Melo Nogueira, reitor da UniFG, a instituição segue fortalecida em sua missão de oferecer ensino superior de qualidade, comprometida com o desenvolvimento de Guanambi e região. “Este novo ciclo que se abre na história da UniFG contribuirá para o fortalecimento da instituição no interior da Bahia e possibilitará novos cenários no campo do ensino superior”, diz o reitor, que permanecerá na liderança da instituição, junto com sua equipe gestora, na nova fase que se descortina. 

A sinergia de valores e o zelo pela qualidade acadêmica foram dois pilares fundamentais, por parte da UniFG, que levaram a nos selecionar como parceira para a continuidade do legado da instituição baiana. Além disso, atributos como a valorização e respeito às pessoas, a centralidade no estudante e o cuidado com o corpo docente e os processos de aprendizagem também figuraram como essenciais nesta escolha.  

Segundo o presidente e mantenedor do Centro de Educação Superior de Guanambi (CESG), Felipe Gabriel Duarte, “a compatibilidade de valores e o respeito à Educação são marcas da Ânima que ajudarão a instituição a prosseguir com seu legado de desenvolvimento de uma educação de qualidade que visa, acima de tudo, levar modernidade e impulso tecnológico para toda a região”. 

Com UniFG, reforçamos ainda mais sua representatividade na área de Saúde  

A integração da UniFG torna ainda mais representativa nossa atuação na Medicina, reunindo agora, após a recente parceria, um total d823 vagas anuais, com alunos cursando em diferentes fases de maturidade.  

Por sinal, o curso de Medicina da instituição baiana a partir de agora terá conexão com a Inspirali, marca de Saúde que faz parte do Ecossistema Ânima, com foco em educação médica, saúde e inovação, atuando no denominado eixo de Educação para Toda a Vida (ou Life Long Learning). A Inspirali tem o objetivo de fortalecer a formação médica, atendendo as demandas de transformação técnica e social da sociedade brasileira.  

Até por isso, a marca contribuirá para o desenvolvimento não apenas da Medicina da UniFG, mas também das demais instituições do Ecossistema Ânima que possuem o curso, cujo número total de matrículas pode alcançar aproximadamente 5.900 quando for atingido o potencial de maturidade. Considerando também a aprovação do curso de Medicina das nossas instituições em novas localidades, somada pedidos de aumento no número de vagas, este potencial passa para cerca de 9.500 matrículas na maturidade. 

Nosso presidente, Marcelo Battistella Bueno, destaca que é um privilégio a organização ser escolhida pela UniFG para somar esforços, saberes e dedicação para continuar transformando pela educação a realidade de milhares de pessoas não apenas da cidade de Guanambi, mas de todos os municípios da região do semiárido baiano. “Vamos, juntos, dar continuidade a este legado e potencializar as práticas que fazem da UniFG uma instituição sólida, de reconhecida qualidade acadêmica, que elevou o patamar de desenvolvimento e progresso do interior do sertão nordestino”, completa o presidente.

Presente em sete Estados brasileiros, atuamos no propósito de transformar o País pela Educação a partir do envolvimento de oito instituições de ensino superior, reunindo 140 mil estudantes: Universidade São Judas Tadeu (SP), Una (MG e GO), UniBH (MG), Faseh (MG), UniSociesc (SC), AGES (BA e SE) e UNICURITIBA (PR), além de atuar na Unisul (SC) em parceria de cogestão. O Ecossistema Ânima reúne também instituições que são referências em seus segmentos, como HSM, HSM University e SingularityU Brazil (na área de Gestão), Le Cordon Bleu (em Gastronomia), EBRADI (em Direito), Inspirali (na Saúde), além do Instituto Ânima 

UniFG tem relação direta com progresso do interior do sertão nordestino 

Vale destacar que a UniFG está situada em uma localidade que se tornou um polo universitário no Nordeste do País, que reúne instituições particulares e públicas de ensino, de nível técnico e superior. A partir de sua fundação no início dos anos 2000, o Centro Universitário foi uma espécie de instrumento catalisador do processo de crescimento do interior do sertão nordestino.  

Mais do que isso, motivaram o surgimento de inúmeros projetos de extensão e pesquisa que hoje se traduzem em serviços orientados à comunidade e ao mercado. São instrumentos que atuam como espaço de formação acadêmica dos estudantes e que, também, prestam atendimento ao público em geral. Conta, por exemplo, com laboratório de análises clínicas, hospital veterinário, além de serviços de assistência jurídica, assistência fiscal, assistência psicológica, apoio ao empreendedor, tratamento fisioterapêutico, atenção farmacêutica, entre outros.  

“Nossa instituição nasceu de um propósito legítimo de ser um ambiente de aprendizado e desenvolvimento de nossos jovens e pessoas do semiárido baiano, sem que haja uma necessidade de migrarem para outros centros para ter acesso à educação de qualidade. É ser um centro de saber, um espaço de transição da ciência para a prática, transformando não apenas o cenário regional, mas a vida de milhares de pessoas”, completa o reitor da UniFG.